Coaching Psicológico

O que apresento com o Coaching Psicológico é um serviço psicológico para Desenvolvimento e Treinamento Pessoal. Utilizo apenas técnicas e ferramentas da Psicologia ou interpretadas pela Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e Análise do Comportamento. A Psicologia e a minha formação, me capacitam a entender o que funciona no Coaching. Sendo que o contrário não se aplica. Ao final do texto apresento uma discussão mais aprofundada sobre isso.

A principal diferença do Desenvolvimento Pessoal em relação a Psicoterapia é o foco. No Desenvolvimento Pessoal se busca o desenvolvimento e/ou melhoria de habilidades, competências e qualidade de vida (pessoal e profissional). Já na Psicoterapia o foco é aliviar ou solucionar algum problema.

O que é então o Desenvolvimento Pessoal?
O objetivo do Desenvolvimento Pessoal é te ajudar a desenvolver e aperfeiçoar aspectos de sua vida pessoal e/ou profissional para que você alcance seus objetivos e metas. Também busca melhorar sua Qualidade de Vida e Bem-estar. Esses aspectos podem ser relacionados a competências, habilidades, crescimento, ampliar o conhecimento em alguma área, sempre com foco nos objetivos que você trouxer.

Assim como na Psicoterapia, o Desenvolvimento Pessoal é um processo colaborativo, baseado na relação entre psicológico e cliente. Por meio de diálogos, discussões, questionamentos e uso de técnicas/ferramentas de intervenção, trabalharemos juntos para que você identifique e, se julgar necessário, mude pensamentos, comportamentos e emoções que te bloqueiam, travam suas atitudes que poderiam levar ao alcance de seus objetivos.

Acho que estou passando por um problema psicológico, não seria melhor realizar o Desenvolvimento Pessoal?
Não
. Diferentemente da Psicoterapia, esse serviço é voltado para quem não está passando por problemas disfuncionais ou incapacitantes (por exemplo, transtorno de ansiedade, depressão, problemas psiquiátricos, etc.).  Nesse caso não é possível realizar o trabalho de Desenvolvimento Pessoal porque os problemas emocionais envolvidos atrapalham sua Qualidade de Vida, impedindo o bom andamento do trabalho. Então é recomendado primeiro lidar com esses problemas. Assim, sua Qualidade de Vida irá melhorar e no futuro, se ainda houver interesse, poderá fazer um processo de Desenvolvimento Pessoal e obter resultados melhores.

Qual o primeiro passo do Desenvolvimento Pessoal?
Primeiro você deve se perguntar se há algo que você sempre adia, por exemplo, uma grande viagem, férias num lugar que sempre sonhou, mudança de cargo ou de empresa, mudança de vida, melhorar suas relações interpessoais, desenvolver habilidades sociais, manejar estresse, planejar a aposentadoria, escrever um livro, montar um negócio, falar em público, etc.

Depois, se pergunte “por quanto tempo penso em fazer isso e nunca fiz?” Pode ser por falta de habilidade, competência ou alguma “trava” que você criou. Também pode ser por alguma crença disfuncional (“ah, não consigo fazer isso, isso não é pra mim”).

Após ter alguma resposta, você já terá uma boa noção se precisa desenvolver suas habilidades ou competências para atingir suas metas.

Como funciona o Desenvolvimento Pessoal?
Aqui, ao contrário da Psicoterapia, o número de sessões é  reduzido, sendo combinado na sessão inicial. Isso ocorre porque você já terá uma ideia do seu objetivo e, como não possui nenhum fator limitante (problema psicológico a ser trabalhado), o foco é todo em como atingir seus objetivos. E um prazo estabelecido para cada etapa poderá te motivar a agir sem procrastinação.

Dessa forma, inicialmente trabalharemos juntos para que você torne seus objetivos claros, específicos, realistas e mensuráveis. Aqui será muito importante testar a realidade de seus objetivos. Depois, iremos trabalhar o quê  e o como para você se desenvolver e se aproximar dos seus objetivos e metas. No passo seguinte estabeleceremos o seu Plano de Ação. A todo momento iremos mensurar seu comportamento para avaliar sua progressão.

Como é uma sessão de Desenvolvimento Pessoal?
De modo geral a estrutura é semelhante a Psicoterapia em TCC, inclusive sendo também semanais e com duração entre 50 minutos a 1h e 20 minutos. A estrutura, a partir da primeira sessão, é:

  • Feedback: avaliação do que fez durante a semana para se aproximar dos seus objetivos e metas, se houve alguma atividade para casa (chamaremos de “To-Do”), iremos avaliar como foi e o que aprendeu com isso;
  • Desenvolvimento: iremos focar no seu Plano de Ação. Aqui é onde eu uso alguma técnica da Psicologia ou interpretada por ela. Utilizarei apenas as técnicas adequadas para te dar o autoconhecimento necessário, relacionada aos seus objetivos e metas. Essa é a parte mais demorada da sessão.
  • Aprendizado: discutiremos o que você aprendeu na sessão e o que pensava, sentia ou fazia antes;
  • To-Do: definiremos juntos, preferencialmente é você quem irá estabelecer alguma atividade para realizar durante a semana, para testar seu aprendizado e se aproximar de seus objetivos.

Passar pelo Desenvolvimento Pessoal é garantia que vou melhorar minhas habilidades e competências?
Não, de forma alguma
. Nenhum profissional sério poderá te dar essa garantia. Se alguém der, desconfie, pois isso fere o Código de Ética. O que vamos trabalhar é seu autoconhecimento, você se entender mais, descobrir porque não atingia seus objetivos e metas. E o processo dependerá exclusivamente de você, pois é você que tem que ir atrás do seus objetivos. Só isso já limita os resultados do trabalho. Além disso, durante o processo pode acontecer que você descubra que os seus objetivos não eram bem o que imaginava, mudando-os, buscando outros, ou avaliando que sua atual situação é o que busca.

Algumas considerações sobre Coaching e Psicologia:

Coaching é um processo que auxilia você a desenvolver e/ou melhorar habilidades, competências, capacidades, ampliar o conhecimento e etc. Ele possibilita o seu Desenvolvimento Pessoal, com foco na Qualidade de Vida. Dessa forma, o Coaching (que não é uma área ou abordagem da Psicologia) foge um pouco da visão tradicional do Psicólogo que trabalha “apenas” com problemas, pois permite que a pessoa busque se desenvolver.

Recentemente o Conselho Federal de Psicologia lançou uma nota sobre Coach e Psicologia. A falta de conhecimento do CFP é tão grande que entendeu que escola de formação de Coaches, Sociedade Brasileira de Coaching, é uma instituição como a Sociedade Brasileira de Psicologia. O Coaching (processo) trabalha o comportamento humano, então é perfeitamente aceitável que o Psicólogo atue nisso. A profissão de psicanalista também não é reconhecida, mas o CFP não emite nota alguma contra isso.

Então o que existe é um total desconhecimento do CFP sobre o trabalho do Coach e, principalmente, uma falta de visão sobre as possibilidades que o Psicólogo tem sobre esse campo de atuação. Digo isso porque o CFP poderia lutar para que o Coaching se tornasse uma atribuição do Psicólogo, que estuda por cinco anos para entender o comportamento. Mas ele vai na contramão do progresso e limita ainda mais a atuação do Psicólogo no Brasil.

Essa minha opinião também é compartilhada de forma sensata pelo Conselho Regional de Psicologia do Paraná, em que apontam:

Simplesmente desconsiderar o avanço científico e o reconhecimento da sociedade das estratégias e benefícios do coaching alegando que não se trata de um método vinculado aos princípios, procedimentos, métodos e técnicas da Psicologia é contribuir para a desregulamentação da profissão e desconsiderar a preparação da(o) Psicóloga(o) para trabalhar com o comportamento humano.

Sempre pratiquei esportes e há alguns anos descobri a meditação como forma eficaz e eficiente para trazer tranquilidade, bem estar e qualidade de vida. Com base nisso, comecei a estudar o que a Psicologia tinha a oferecer nesse sentido. Foi quando tive conhecimento da tese de doutorado do professor Dr. Nicomedes Borges, que associa Psicologia e Coaching.

Nessa tese ele aponta que a Psicologia geralmente é baseada na Teoria da Maçã Ruim (“Theory of Bad Apple”), com foco em resolver problemas e não promover a saúde. Mas há uma corrente que busca uma prática de melhoria constante, não apenas resolver problemas psicológicos, é a Teoria do Aperfeiçoamento Contínuo (“Theory of Continuous Improvement”). Se quiser entender melhor esse debate, leia essa entrevista com o professor Dr. Nicomedes Borges, para o site Comporte-se ou então sua tese de doutorado.

Dessa forma, o Coaching Psicológico, ao contrário da visão do CFP, e a favor da visão do CRP do Paraná, é desenvolver habilidades e competências, melhorar o bem estar e a qualidade de vida. Tudo isso se valendo da Psicologia, seus pressupostos teóricos e ferramentas. Nada além disso.


Observações adicionais:
Coaching não é uma profissão regulamentada no Brasil. Os títulos que os profissionais apresentam de “Sociedades”, “Institutos”, “Associações” são de escolas de formação em Coaching. As Sociedades e Associações de profissionais em geral são entidades civis sem fins lucrativos, que não possuem vinculações políticas, ideológicas e/ou religiosas. Veja o exemplo da Sociedade Brasileira de Psicologia.
Um coach também pode te ajudar a alcançar seus objetivos e metas, o esclarecimento é apenas para que você entenda que o título dessas escolas de formação não significa a ideia que querem passar.