Acompanhamento Psicológico de Dieta

“O problema é que ninguém jamais lhe ensinou como fazer dieta” (Judith Beck).

Eu começo com essa frase provocadora porque ela reflete a ideia do Serviço de Acompanhamento Psicológico de Dieta. Se você está aqui, provavelmente já tentou alguma dieta que não deu certo. Ou, no mínimo, deve conhecer alguém que já tentou.

As melhorias na qualidade de vida da nossa população estão gerando um grande problema de saúde. Estamos nos alimentando mal, fazendo pouca atividade física e a consequência disso é uma população muito grande de pessoas acima do peso recomendado e que não consegue manter uma dieta adequada1.

Em 2003 o percentual de pessoas acima do peso era de 42%. Mas na última Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), de 2015, foram calculados o peso a circunferência dos voluntários. O número de brasileiros acima do peso aumentou, sendo estimado em 56,9%. Isso representa cerca de 82 milhões de brasileiros.

Do ponto de vista psicológico, o problema do sobrepeso e obesidade começa nos meios de comunicação. Capas de revista, novelas, filmes, propagandas, não refletem a realidade, mostram sempre pessoas com corpos exuberantes e, raramente, as mostram se cuidando para isso. Essas pessoas não conseguem isso com mágica…

E para piorar, com a melhoria da Qualidade de Vida, o acesso a comidas extremamente calóricas é muito fácil: tortas, sorvetes, doces, pizzas, refrigerantes estão na geladeira ou a uma esquina de distância.

Por outro lado, temos as pessoas que precisam se manter em dieta constante devido a problemas de saúde crônicos, como: diabetes, doença celíaca, hipertensão e dislipidemia.

Mas do que se trata esse Acompanhamento Psicológico de Dieta?
A dieta e a Psicologia podem ser associadas das seguintes formas:

  1. Acompanhamento Psicológico de Dieta para Emagrecimento: vamos fazer uma avaliação inicial e ver se há algum problema grave a ser cuidado. Caso não haja, vamos trabalhar seus objetivos, a maneira como você lida com a comida, o motivo de regimes antigos terem falhado, vamos trabalhar novas estratégias para você se lembrar dos seus objetivos com a dieta. Para termos sucesso, você irá se *autoconhecer, aprender sobre seu padrão de alimentação, as distorções cognitivas (erros de pensamento) que usa para justificar sua sabotagem coma dieta e como modificá-las.
  2. Acompanhamento Psicológico de Dieta para Doenças Crônicas: algumas doenças, como diabetes, precisam de uma dieta adequada por toda a vida. Mas as pessoas se sabotam quando a doença está assintomática. Então, temos que focar em como você pode manter o comportamento adequado para seguir sua dieta e, também, manter o controle estabelecido pelo seu médico.

Dieta e Psicologia

Como funciona o trabalho?
O trabalho é feito a partir de sessões semanais, com cerca de 50 minutos de duração. Nessas sessões realizaremos um programa que consiste de ferramentas/técnicas específicas para seu caso. A mudança será feita aos poucos, a cada dia. Por isso seu comprometimento é fundamental. Por exemplo, iremos trabalhar porque você às vezes come e nem saboreia a comida, diferenciar fome de vontade e desejo de comer. Também trabalharemos o que fazer quando for em festas e viajar, aprender que quando “furar” a dieta você pode parar e tornar isso um aprendizado. Ao final do programa iremos estabelecer sessões de acompanhamento para avaliar se está mantendo ou não o aprendizado. É um programa com número limitado de sessões.

Mas preciso apenas do Acompanhamento Psicológico?
Não, de modo algum isso é recomendado. Tanto para sobrepeso e obesidade quanto para doenças crônicas é fundamental o acompanhamento de um médico e um nutricionista. Esses problemas e doenças são multideterminados, sendo causados por fatores ambientais, psicológicos, fisiológicos, emocionais e até mesmo por agentes químicos. Então devem ser cuidados por diversos profissionais.

O que preciso para fazer o Acompanhamento Psicológico de Dieta?
O primeiro passo é procurar orientação médica. A especialidade que recomendo inicialmente é a Endocrinologia. O médico endocrinologista irá fazer uma avaliação do seu caso, verificar o que pode causar o problema que está passando e qual a recomendação de tratamento.

O segundo passo é ter uma dieta coerente ao seu padrão de vida. A sua dieta pode ser fornecida tanto por um nutricionista e/ou médicos endocrinologista e nutrólogo. Essa dieta deve ser fácil de ser seguida, aqui estou falando dos tipos de alimentos e do seu estilo de alimentação. Não adianta começar uma  dieta que te faça carregar marmita de comida para eventos e viagens. Por quantos dias, meses e anos acha que conseguirá manter isso?

No caso do emagrecimento, quase todas as dietas da “moda”, de revistas, funcionam, emagrecem. Mas elas são artificiais ao seu padrão de vida e você não consegue mantê-las por muito tempo. Após ter a avaliação médica e, no mínimo uma dieta adequada ao seu estilo de vida fornecida por nutricionista, nutrólogo ou endocrinologista, poderemos iniciar o nosso trabalho. Assim as chances do trabalho dar certo serão maiores.

Como funciona uma sessão de Acompanhamento Psicológico de Dieta?
Para entender mais, leia sobre Psicoterapia e Coaching Psicológico no site. A sessão será similar aos esquemas apresentados. Relembrando, o trabalho é realizado sob orientação da TCC.

Você faz laudo para cirurgia bariátrica?
No momento não. Faço acompanhamento psicológico antes e depois da cirurgia, auxiliando no processo de preparação para as mudanças corporais (percepção corporal), emocionais, comportamentais, pensamentos e de autoestima. Depois da cirurgia trabalharemos como você lida com as mudanças e buscar novos objetivos.

O que terá mudado ao final do processo?
Lembra-se da frase inicial, que ninguém te ensinou como fazer dieta? Ao final do processo terá aprendido que fazer dieta não é simplesmente “mudar a alimentação”, você precisa mudar a forma como pensa sobre comida, o que sente em relação a comer e o seu comportamento com a comida. Quem controla a dieta é você. Então terá as ferramentas para fazer a dieta e se manter nela.

É um processo fácil?
Não. Se fosse fácil não haveria tantas pessoas que desistem. Pode ser emocionalmente doloroso abdicar do seu padrão alimentar atual porque ele te dá algum benefício. Pode ser extremamente difícil mudar os hábitos alimentares. Ainda mais difícil pode ser manter o novo padrão, os novos hábitos.

Por que é tão difícil parar de comer comidas calóricas como pizza, doces, frituras …?
A resposta está no Sistema de Recompensa dentro do seu cérebro. Ele é o responsável por você aprender e memorizar a associação entre a comida e o prazer que vem dela. Quanto mais calórica, mais forte a associação. E, para piorar, quando você está mal, triste, com ansiedade você desconta na comida, a usa como válvula de escape porque dá uma sensação boa por um momento. Então, quando você faz “dieta”, você está tirando algo prazeroso, surgindo as respostas emocionais de estresse, raiva, irritação… Aqui nesse ponto que temos que trabalhar, tanto a Solução de Problemas quanto o valor que a comida tem para você.

 


Observações adicionais:

Recomendo que antes de qualquer dieta (ou nova tentativa), leia o artigo: De dieta em dieta. O que a ciência diz sobre soluções milagrosas?

>


  1. Experimente parar de falar que está em dieta. Apenas recuse comida quando lhe oferecerem, sem falar: “ah, não. Estou de dietaSimplesmente diga: “não, muito obrigada (o). Estou sem fome” ou “não, muito obrigada (o). Estou satisfeita (o).” Troque a palavra dieta por alimentação, pois a sua “dieta” tem que ser seu novo estilo de vida, sem contar que a palavra “dieta” tem uma carga muito negativa hoje em dia.