Obediência e Autoridade

Bruno Marinho de Sousa

stanley_milgram

Stanley Milgram foi um psicólogo dos Estados Unidos. Sua carreira foi dedicada a Psicologia Social e ele ficou mundialmente conhecido por seus experimentos. Um deles testava a obediência das pessoas. Resumidamente o experimento era assim, nas palavras do próprio Stanley Milgram:

“Na experiência básica, planejada, duas pessoas chegam a um laboratório psicológico para participar de um estudo sobre memória e aprendizado. Um é chamado de ‘professor’ e outro de ‘aluno’. O experimentador explica que o estudo diz respeito aos efeitos da punição no aprendizado. O aluno é conduzido a uma sala, senta-se numa espécie de miniatura de cadeira elétrica; seus braços são imobilizados para impedir movimentos excessivos e um eletrodo é preso ao seu pulso. Ele é informado de que ser-lhe-ão lidas listas de pares de vocabulários simples e que, então, será testada a sua capacidade de lembrar-se da segunda palavra de um par quando ouvir novamente a primeira palavra. Sempre que cometer um erro, receberá choques elétricos de intensidade crescente”1.

Esses choques poderiam chegar até a 450volts (extremamente prejudiciais) !!

Até onde vocês iriam numa atividade assim?

Bem, vendo de fora, a maioria das pessoas julgam que parariam logo, que não sofreriam influência externa (pesquisador) na sua decisão. Essa também foi a opinião de psiquiatras consultados sofre o resultado esperado.

Mas a pesquisa mostrou um lado sombrio da nossa capacidade de obediência. Mais de 60% das pessoas foram até a última intensidade do choque, o choque que poderia ser fatal. Em outras palavras, houve um alto índice de submissão a autoridade.

Nesse estudo apenas o professor não sabia dos objetivos. O aluno era um ator que ficava na sala isolada fingindo que recebia choques, os choques não eram reais. Entretanto, os professores não sabiam disso. Então para eles, a tarefa era real.

Qual o objetivo da pesquisa?

Também nas palavras de Milgram:

“O objetivo da experiência é ver até que ponto uma pessoa prosseguirá numa situação concreta e mensurável em que lhe é ordenado infligir uma dor crescente numa vítima que protesta”1. Sim, o aluno (ator) diz que está doendo, que não aguenta mais, mas o experimentador insiste que deve continuar.

O que esse estudo aponta é algo extremamente impactante sobre nossa mente. O conflito entre obedecer a uma “ordem” da autoridade ou aceitar nossa compaixão por outro que sofre. Ele mostra que ao recebermos uma tarefa, podemos não mais questionar as consequências de nossos atos, uma vez que essa responsabilidade passa a ser da autoridade que deu a ordem. Em outras palavras, nos tornamos um meio, sendo nossa responsabilidade diminuída.

Isso pode lançar luz sobre o porquê pessoas cometem atrocidades contra outras em períodos de guerra, ditaduras (como no Brasil) e até em instituições, como no caso do Hospital Colônia de Barbacena (que ficou conhecido como o Holocausto Brasileiro).

Assista ao filme e entenda como funcionou o estudo, também como a ciência pode nos mostrar sobre o nosso funcionamento mental.
O Experimento Milgram, disponível na Netflix

Aqui há um vídeo com Stanley Milgram que mostra e discute seu estudo:


Entenda mais:

“É só uma teoria” ou como conceitos científicos são distorcidos, texto escrito por mim para o blogPercepto.

Imagem: JewishCurrents


  1. Os perigos da Obediência, por Stanley Milgram. 

2 comentários sobre “Obediência e Autoridade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s