Meditar melhora nossa Saúde

Bruno Marinho de Sousa

A Meditação, o Mindfulness e a Psicologia

Imagine você ficar sentado de olhos fechados, se concentrando na sua respiração, num mantra ou apenas em tudo que ocorre ao seu redor e em você mesma (o). Imagine-se fazendo isso por 10, 20 ou 30 minutos por dia. O que acha que aconteceria com você? Perderia a paciência, ficaria ansiosa (o)? E o  que aconteceria com sua Saúde Mental?

Bem, o nome do que falei acima é Meditação. Existem diversas formas de meditação. As duas formas básicas de meditação são:

  • Concentrativas  – foco em em apenas uma coisa (respiração, mantra, som) e deve-se retornar ao foco quando perceber que se distraiu;
  • Mindfulness – consciência no presente (ex.: sons, sensações, pensamentos), apenas “observa” o que acontece, sem julgar.

A mais estudada pela Psicologia e Neurociências é a do tipo Mindfulness, ou Atenção Plena. Antes de continuar, vamos definir, grosseiramente, Meditação como um exercício que:

 “reduz divagação mental por disciplinamento da mente na arte de se manter focado” *.

Em outras palavras, ela poderá te ajudar a não deixar seu pensamento voar livremente, ajudando a manter o foco e a concentração. Mas isso não acontece na primeira vez que você medita. Nem na segunda, terceira… Levará um tempo, é uma habilidade a ser treinada.

meditação e distração

E o que a ciência diz sobre a meditação

No artigo “Por que Meditar? A experiência subjetiva da prática de Meditação”, as autoras Carolina Baptista Menezes e Débora Dalbosco Dell’Aglio apontam diversos estudos que mostram os benefícios de meditar. Em resumo, os benefícios encontrados são:

  • melhor bem-estar emocional, mental e até físico;
  • reduz estresse e ansiedade;
  • melhora a capacidade da Memória de Trabalho;
  • diminui pensamentos distrativos e a ruminação de pensamentos;
  • auxilia a modular a atenção (distribuindo melhor os recursos mentais);
  • melhora a metacognição (“o pensar sobre o pensar”);
  • maior controle emocional;
  • pode ajudar a diminuir a chance de recaída na depressão, dentre outros.

No estudo das cientistas foi investigado como a meditação do tipo Mindfulness influenciou a vida de 105 participantes (no mínimo um mês de prática). No geral os participantes apontaram que meditar promove benefícios principalmente nos aspectos cognitivos e emocionais. E que isso pode “se constituir como uma ferramenta útil à Psicologia, concorrendo para um desenvolvimento psicológico saudável“.

No cérebro

Outros estudos avaliaram os efeitos da Meditação no cérebro. E os resultados são surpreendentes. Diversos estudos mostram que meditar é um excelente exercício que provoca mudanças psicológicas e também neurais.

Um estudo com 39 voluntários mostrou que os meditadores com 3 anos de experiências possuam cérebros mais eficientes para atenção. Nos exames de neuroimagens os meditadores precisavam de um número menor de regiões cerebrais para realizar uma tarefa atentiva em relação aos não meditadores. E os meditadores possuíam mais massa cinzenta nas áreas relacionadas com atenção e raciocínio.

Um estudo brasileiro feito no Instituto do Cérebro do Hospital Israelita Albert Einstein (InCe-HIAE) mostrou resultados nesse sentido. A amostra teve 39 participantes (20 meditadores com pelo menos 3 anos de prática e não meditadores) e o objetivo foi avaliar os participantes numa tarefa de atenção. Os resultados mostraram que os meditadores recrutam menos áreas cerebrais para realizar a tarefa (principalmente as frontais). Isso aponta uma maior eficiência cerebral dos meditadores.

Estudos liderados pela neurocientista Sara Lazar mostram que o Mindfulness pode ser capaz de compensar a perda cognitiva normal que ocorre com o envelhecimento. E pode até melhorar a capacidade cognitiva de adultos mais velhos. Ainda, o Mindfulness possibilita o aumento da resiliência, retarda o declínio da inteligência fluida e da arquitetura funcional do cérebro (leia o artigo aqui). Leia sobre os trabalhos dela em sua página oficial: Lazar Lab.

Se é tão bom, por que as pessoas não Meditam?

Meditar é uma habilidade que precisa de dois Ps para dar certo: Paciência e Persistência. Funciona do mesmo modo como qualquer outra habilidade. E, como qualquer habilidade, poucas pessoas continuarão praticando. Vamos a um exemplo:

se você dirige, não conseguiu pegar um carro na primeira vez e dirigir superbem. Teve que se acostumar a sentar atrás do volante, entender aqueles 3 pedais, aprender a pisar na embreagem e passar a marcha. Teve que aprender a olhar para a rua, acelerar, pisar no freio, embreagem, passar marcha, dar seta, conversar e tudo isso levou tempo. Até hoje você deve cometer uns erros.

Como eu disse antes, Meditar é uma habilidade que precisar ser treinada. Primeiro você deve entender a lógica, o modo de funcionar. Depois irá automatizar o processo e, de repente, começará a sentir os seus efeitos benéficos! Por isso Paciência e Persistência.

Para começar:

Você pode começar a praticar de várias formas, sozinho, com vídeos, áudios, aplicativos, retiros, cursos e etc. Aqui eu vou te passar dois textos do site para você começar:

Como meditar?

Por que é difícil meditar?

E o mais legal da meditação que ela é de graça, você pode fazer em praticamente qualquer lugar. E o melhor de tudo, Meditar promove nossa Saúde Mental.

A meditação é tão benéfica que faz parte de práticas de saúde pública em diversos países, inclusive no Brasil. O Minstério da Saúde a incluiu como prática integrativa no SUS. No México ela foi utilizada na prisão de Apodaca e promoveu mudanças positivas. No Brasil isso também vem sendo feito em algumas unidades.

Observação: algumas pessoas podem experimentar desconforto e até situações mais graves durante a meditação. Mas no geral isso se aplica a um pequeno número de pessoas. Caso aconteça com você, procure orientação profissional. Leia mais: Em vez de relaxar, meditação pode provocar crises mentais, diz psicólogo.

Se quer entender mais sobre a influência da Meditação no cérebro, assista o vídeo:


Leia mais:

Livros (links da Amazon):

Artigos e textos:

Artigos de Sara Lazar:

  1. The potencial effects of mditation on age-related cognitive decline: a systematic review
  2. Fluid intelligence and brain functional organization in aging yoga and meditation practitioners

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.