Psicologia tem relação com Coaching?

Bruno Marinho de Sousa

Segundo a Associação Americana de Psicologia, a Psicoterapia:

  • “envolve a comunicação entre pacientes e terapeutas que se destina a ajudar as pessoas:
  • Encontrar alívio do sofrimento emocional, se tornando menos ansioso, medroso ou deprimido.
  • Buscar soluções para problemas em suas vidas, como lidar com a decepção, tristeza, problemas familiares e insatisfação profissional.
  • Modificar formas de pensar e agir que os impedem de trabalhar de maneira produtiva e desfrutar de relacionamentos pessoais.” (Em tradução livre, fonte: APA).

Para o Conselho Federal de Psicologia – CFP:

“A Psicoterapia é prática do psicólogo por se constituir, técnica e conceitualmente, um processo científico de compreensão, análise e intervenção que se realiza através da aplicação sistematizada e controlada e métodos e técnicas psicológicas reconhecidos pela ciência, pela prática e pela ética profissional, promovendo a saúde mental e propiciando condições para o enfrentamento de conflitos e/ou transtornos psíquicos de indivíduos ou grupos.” (Fonte: Resolução CFP Nº 010/00, de 20 de dezembro de 2000).

Agora vamos ver uma definição de Coaching. Segundo a International Coaching Federation, coaching é:

“Ser parceiro dos clientes em um processo criativo e um provocador de pensamentos que os inspira a maximizar seu potencial pessoal e profissional. ” Fonte: Kate Burton.

Para a Association for Coaching:

“É um processo sistemático colaborativo, focado na solução, orientado para resultados, em que o coach facilita a melhora de desempenho de trabalho, da experiência de vida, do aprendizado autodirecionado e do crescimento pessoal do cliente.” Fonte: Kate Burton.

Então existe uma diferença sutil, ou nem tão sutil assim. A Psicologia busca promover a melhoria das pessoas, mas tradicionalmente quando ela está mal. Já o Coaching busca melhorar o que não “está mal”, mas tem potencial para ser melhor. Ambas atividades são um processo colaborativo, baseado na relação entre profissional e cliente. Por meio de diálogos, discussões, questionamentos e uso de técnicas/ferramentas de intervenção, trabalham-se juntos para que o cliente identifique e, se julgar necessário, mude pensamentos, comportamentos e emoções que bloqueiam, travam suas atitudes que poderiam levar ao alcance de seus objetivos.

Mas por que então a Psicologia é tão associada ao tratamento do sofrimento?
Isso ocorre porque a Psicologia por muitos anos ficou focada em entender os fenômenos psicológicos e tratar as pessoas em sofrimento. Isso ocorreu principalmente devido as duas Grandes Guerras Mundiais, em que milhões de pessoas estavam em sofrimento e precisavam de ajuda. Entretanto esse foco deixou de lado o que poderia ser feito para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Resultado de imagem para martin seligman

Isso mudou ao longo dos tempos, especialmente depois que Martin Seligman assumiu a APA (1998) e buscou formas de melhorar a vida das pessoas (florescer é um termo utilizado para isso). Com isso surgiu o campo da Psicologia Positiva, que busca melhorar os potenciais das pessoas e torná-las mais felizes (satisfeitas com a vida).

Então agora a Psicologia está fundamentada, cientificamente, para trabalhar o que antes os psicólogos não trabalhavam, certo?
Sim e não. Sim, temos teorias e técnicas robustas para isso, mas o mercado ainda não sabe disso. Por outro lado, os Coaches divulgam bem seu trabalho.

Como o CFP não permite que os psicólogos com conhecimento/formação em Coaching divulguem isso (no cartão, por exemplo), as empresas e outros possíveis clientes não nos procuram. Como podem perceber, um atraso em relação ao potencial do psicólogo para atuar nessa área. Uma empresa dificilmente irá contratar um “psicólogo” para ajudar no desenvolvimento de habilidades de um gestor. Ela contratará um Coach.

Isso ocorre porque a Psicologia é muito associada à Terapia, ao consultório, aos problemas emocionais. E quem poderia contratar os psicólogos para outros tipos de trabalho nem sabem do nosso potencial para desenvolver virtudes, habilidades e capacidades das pessoas. Mas a culpa é nossa, dos psicólogos. No geral nós não divulgamos o que fazemos.

A não associação do psicólogo com Coaching seria justificado pelo fato de não misturar uma profissão reconhecida e outra que ainda não é. E também uma formação que demanda muito mais tempo e preparo como é a psicologia, com uma outra de formação mais simples (existem cursos de 32 horas para Coaching).

Imagem relacionadaEntão a principal diferença do processo de Coaching em relação a Psicoterapia é o foco. No Coaching se busca o desenvolvimento e/ou melhoria de habilidades, competências e qualidade de vida (pessoal e profissional). Já na Psicologia, tradicionalmente o foco é aliviar ou solucionar algum problema (para depois trabalhar o desenvolvimento pessoal)

Qual o motivo principal das críticas ao Coaching?
A falta de controle da expansão de pessoas que trabalham como Coaches. Nâo há uma regulamentação, basicamente qualquer um pode ser Coach. E não há uma entidade de classe para fiscalizar os profissionais ruins ou regulamentar o que é ou não atribuição do Coach. Por isso vários profissionais criticam a expansão desenfreada do Coaching, pois a formação que os Coaches recebem não os prepara para avaliar demandas psicológicas (tem coach que faz diagnóstico de depressão por postagem de Instagram…). E por falta de regulamentação, tem gente fazendo coaching de tudo. Dúvida? Leia mais aqui:

Tem coach pra tudo, até pra dormir
Curso de Coaching: Como funciona e como fazer
A farra do Coaching e as mentiras que te contaram
A banalização do Coaching

Vamos agora a um ponto prático: passar pelo processo de Coaching ou Terapia é garantia que vou melhorar minhas habilidades e competências?
Não, de forma alguma
. Nenhum profissional sério poderá te dar essa garantia. Se alguém der, desconfie, pois isso fere o Código de Ética (dos psicólogos). E no Coaching você só tem a palavra do profissional, ninguém irá “fiscalizar” o que ele te prometeu, pois como já disse, não há um órgão regulador da profissão.

O que se trabalha nesses processos é seu autoconhecimento, você se entender mais, descobrir porque não atingia seus objetivos e metas. Ambos os processos dependerão exclusivamente de você, pois é você que tem que ir atrás dos seus objetivos (de vida, trabalho etc.). Só isso já limita os resultados do trabalho. Além disso, durante o processo pode acontecer que você descubra que os seus objetivos não eram bem o que imaginava, mudando-os, buscando outros, ou avaliando que sua atual situação é o que busca.


Observações adicionais:
Coaching não é uma profissão regulamentada no Brasil. Os títulos que os profissionais apresentam de “Sociedades”, “Institutos”, “Associações” são de escolas de formação em Coaching. As Sociedades e Associações de profissionais em geral são entidades civis sem fins lucrativos, que não possuem vinculações políticas, ideológicas e/ou religiosas. Veja o exemplo da Sociedade Brasileira de Psicologia.

Um coach também pode te ajudar a alcançar seus objetivos e metas, o esclarecimento é apenas para que você entenda que o título dessas escolas de formação não significa a ideia que querem passar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s