Autocontrole: Você pode treinar!

Bruno Marinho de Sousa

Autocontrole é utilizado quando você tem um conflito e deve escolher entre algumas opções. Esse conflito ocorre porque seu comportamento tem diferentes consequências, positivas e negativas. As positivas são a gratificação positiva imediata que ele provoca e suas consequências de curto prazo (prazer, ao beber e esquecer dos problemas, afastar alguém chato, conseguir o que quer e etc.). As negativas podem ser ressaca depois de beber, reprovação de pessoas próximas, comportamentos de risco, afastar pessoas queridas, magoar pessoas próximas, que podem vir a longo prazo.

rabotayushhie-koshki

Uma análise que você deve fazer sobre a sua falta de “controle” pode ser a seguinte¹:

  •  Quando e onde ocorre? Com quem ocorre? É algo que as pessoas dizem ou fazem? (Antecedente – Situação).
  • Como você reage? Quais as emoções que isso desperta? Como se comporta? Com que frequência este comportamento ocorre? (Resposta).
  • O que acontece em seguida? Se é com outra pessoa, ela se afasta? Ela revida uma agressão? Ela fala mal de você? As outras pessoas te evitam? (Consequência).

Resumindo: o que será que controla este comportamento?

Sabendo as respostas para essas perguntas, você já pode obter um melhor autocontrole e utilizar seus recursos, capacidades e habilidades para tomar uma decisão melhor. Muitas vezes perdemos o controle por falta de conhecimento das nossas emoções no momento. Em outras palavras, as emoções dominam e nem percebemos isso (“fiquei cego de raiva”, “meu sangue ferveu”). As emoções são tão importantes tanto para nos fazer agir quanto nos travar. Muitos de nossos bloqueios são emocionais (travas emocionais nas quais não estamos no controle), mas não conseguimos percebê-los assim de cara. Precisamos de treino para isso, por isso meditar e se observar pode ajudar.

Algumas formas de melhorar nosso autocontrole são:

  • meditar (para conhecer e aceitar o que se passa em sua cabeça e com suas emoções);
  • criar estratégias para nos “enganar’: se vai sair para beber, comer antes, não ir diretamente para o copo de cerveja ou outra bebida disponível, se for emagrecer, beber água sempre que sentir fome;
  • ver o ponto de vista do outro, quando o foco do problema é alguém específico,
    estabelecer novas formas de lidar com a(s) pessoa(s),
  • buscar as causas dos problemas e solucioná-los.

Se não conseguir fazer as sugestões, não se reprove, tente avaliar o que deu errado. Uma forma de solucionar problemas de forma simplificada é modelo [S.C.O.R.E.], que já escrevi sobre ela aqui no blog. Muitas vezes as pessoas alegam que não conseguem, que sempre foram assim, que não tem como mudar. Mas isso é a resposta que você sempre deu a algum problema. Você deve investigar o porquê age desse jeito. Tem algo que quer esquecer? Quer evitar se mostrar fraco? Quer aceitação dos outros? Não sabe dizer não? Tudo tem que ser do seu jeito?

 TODA CAPACIDADE HUMANA PODE SER TREINADA!

A frase acima pode parecer exagerada, mas é verdade. Não quer dizer que você será o melhor do mundo algo, apenas que você pode ser melhor do que está hoje. Um exemplo: se você nunca jogou tênis e passa a treinar todo dia, uma hora por dia. O que acha que vai acontecer daqui 3 anos? Estará melhor ou pior?
E outras capacidades, como a paciência? Se você treinar sempre e com disciplina, todo dia, 10 minutos por dia, o que acha que acontecerá daqui um anos? Estará com mais paciência ou menos?

Leia a entrevista com o monge budista Matthieu Ricard. Ele foi pesquisado por cientistas da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, por ser considerado o “homem mais feliz do mundo”. Exageros à parte, uma das recomendações dele é:

“O que você fizer vai mudar seu cérebro. Se você aprender malabarismo, a mergulhar ou a esquiar, seu cérebro vai mudar. Da mesma forma, se você treinar sua concentração, se você treinar para ter mais compaixão, se você treinar para ser mais altruísta, seu cérebro vai mudar, você será uma pessoa diferente. Todas essas habilidades podem ser aprendidas, assim como tocar piano ou jogar xadrez.”

Em resumo, se você quer treinar alguma habilidade, desde malabarismo, matemática, até paciência e melhorar a memória, treine! Da parte da Psicologia, Neurociências e Coaching você pode continuar acessando a Lista de Textos blog Psicologia Catalão.

Quer ver o poder do autocontrole e sua relação com as emoções? Assista o vídeo abaixo. Ele é baseado num experimento psicológico realizado na década de 1970. Basicamente ele testa a capacidade de adiar gratificações (autocontrole) das crianças. As implicações psicológicas do experimento ficará para um outro texto. Mas você pode ler algo sobre ele no texto de Alysson Muotri, da coluna Espiral do G1.

¹: Leia os textos abaixo para se aprofundar mais:

Imagem: Site russo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s